Caraterização (Saneamento)

O sistema de saneamento de águas residuais do concelho de Montemor-o-Velho dispõe de 10 sistemas, geridos sob responsabilidade da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho e garantida a sua monitorização e manutenção através de uma empresa prestadora de serviços.

 

SISTEMA DE SANEAMENTO DE ARAZEDE

O sistema de Arazede é constituído pela ETAR e três estações elevatórias localizadas ao longo de cerca de 20 km de sistema intercetor, servindo a freguesia de Arazede.

A ETAR de Arazede, que entrou em funcionamento em 2012, apresenta um tratamento terciário com reatores biológicos e sistemas de microfiltração e de desinfeção por radiação ultravioleta.

 

SISTEMA DE SANEAMENTO DE CARAPINHEIRA

O sistema de Carapinheira compreende a ETAR, seis estações elevatórias e cerca de 42 km de sistema intercetor que beneficia as freguesias de Carapinheira e Meãs.

A ETAR de Carapinheira, em funcionamento desde 2001, apresenta um tratamento secundário por lagoas. Numa primeira fase o efluente é direcionado para uma lagoa com quatro arejadores de superfície para oxidação biológica da matéria orgânica carbonatada, sendo depois encaminhado para uma segunda lagoa onde ocorre a deposição das lamas e o efluente tratado.

 

SISTEMA DE SANEAMENTO DE EREIRA

O sistema de Ereira compreende a ETAR, duas estações elevatórias e cerca de 4 km de sistema intercetor que serve a freguesia de Ereira.

A ETAR de Ereira, que entrou em funcionamento em 2001, apresenta um tratamento secundário em lagoas. O afluente é descarregado, por gravidade, numa lagoa anaeróbia para depuração da matéria orgânica carbonatada, por redução. No lado oposto à alimentação desta lagoa, encontra-se uma conduta de descarga do efluente tratado para alimentação, também por gravidade a uma segunda lagoa. Nesta segunda lagoa, ocorre a deposição das lamas e o efluente tratado, por meio de uma conduta superficial, é descarregado, por gravidade, no meio hídrico nas proximidades da ETAR.

 

SISTEMA DE SANEAMENTO DE LICEIA

O sistema de Liceia compreende a ETAR, 23 estações elevatórias e cerca de 33 km de sistema intercetor que serve a freguesia de Liceia.

A ETAR de Liceia, em funcionamento desde 2013, apresenta um tratamento terciário com reatores biológicos, para permitir o desenvolvimento dos microrganismos responsáveis pelo tratamento das águas residuais com um sistema de arejamento, um sistema de mistura, um sistema de descarga do líquido tratado e um sistema de purga das lamas em excesso.


SISTEMA DE SANEAMENTO DE MONTEMOR

O sistema de Montemor compreende a ETAR, nove estações elevatórias e cerca de 17 km de sistema intercetor que serve a freguesia de Montemor.

A ETAR de Montemor, entrou em funcionamento em 2002 dispondo de um tratamento secundário onde ocorre a oxidação biológica da matéria orgânica carbonatada, em condições aeróbias, num reator biológico.

O seu arejamento é realizado através de arejadores de superfície e a sua homogeneização é assegurada por dois agitadores submersíveis. O licor misto flui depois até ao decantador secundário, instalado em espaço contíguo ao reator biológico, através de uma passagem subsuperficial.

Neste decantador de planta retangular, realiza-se a separação sólido-líquido, onde as lamas ativadas sedimentadas são recirculadas para o reator biológico através de grupos eletrobomba. O efluente do decantador é rejeitado, por gravidade, com recurso a caleiras, no meio hídrico nas imediações das instalações da ETAR.

 

SISTEMA DE SANEAMENTO DE PEREIRA

O sistema de Pereira é compreendido por duas ETAR’s, nove estações elevatórias e cerca de 11 km de sistema intercetor que serve a freguesia de Pereira.

As ETAR’s de Pereira, em funcionamento desde 1996 e 2007, respetivamente, dispõem de tratamentos secundários onde se oxida biologicamente a matéria orgânica carbonatada, em condições aeróbias, num reator biológico. O seu arejamento é realizado através de arejadores de superfície e a sua homogeneização é assegurada por dois agitadores submersíveis. O licor misto flui depois até ao decantador secundário, instalado em espaço contíguo ao reator biológico, através de uma passagem subsuperficial.

 

SISTEMA DE SANEAMENTO DE PORTELA

O sistema de Portela é constituído por uma ETAR, 6 estações elevatórias e cerca de 5 km de sistema intercetor que serve a freguesia de Portela.

A ETAR de Portela, em funcionamento desde 2013, apresenta um tratamento secundário que consiste em um sistema de tratamento compacto por lamas ativadas em regime de arejamento prolongado com o intuito de remover a matéria orgânica através da sua oxidação biológica, constituindo a primeira etapa de tratamento, não existindo tratamento preliminar.

Desta forma, encontram-se instalados três tanques de arejamento que são alimentados por oxigénio proveniente de um sobrepressor.


SISTEMA DE SANEAMENTO DE SANTO VARÃO

O sistema de Santo Varão é constituído por uma ETAR, 10 estações elevatórias e cerca de 15 km de sistema intercetor que serve as freguesias de Santo Varão e Formoselha.

A ETAR de Santo Varão/Formoselha, em funcionamento desde 2003, apresenta um tratamento secundário onde se oxida biologicamente a matéria orgânica carbonatada, em condições aeróbias, num reator biológico.

O seu arejamento é realizado através de arejadores de superfície e a sua homogeneização é assegurada por dois agitadores submersíveis.

 

SISTEMA DE SANEAMENTO DE TENTÚGAL

O sistema de Tentúgal é constituído por uma ETAR, quatro estações elevatórias e cerca de 4 km de sistema intercetor que serve as freguesias de Tentúgal.

A ETAR de Tentúgal, em funcionamento desde 2001, apresenta um tratamento secundário onde se oxida biologicamente a matéria orgânica carbonatada, em condições aeróbias, num reator biológico com decantador integrado. O seu arejamento é realizado através de uma grelha de difusores instalados no fundo do reator biológico, sendo o ar fornecido por um sobrepressor.

 

SISTEMA DE SANEAMENTO DE VERRIDE

O sistema de Verride é constituído por uma ETAR, 17 estações elevatórias e cerca de 21 km de sistema intercetor que serve as freguesias de Abrunheira, Verride e Vila Nova da Barca.

A ETAR de Verride, em funcionamento desde 2014, apresenta um tratamento terciário onde é permitido o desenvolvimento dos microrganismos responsáveis pelo tratamento das águas residuais, dotando o processo de um reator biológico equipado com um sistema de arejamento, um sistema de mistura, um sistema de descarga do líquido tratado e um sistema de purga das lamas em excesso.

Posteriormente, o efluente decantado é encaminhado para os sistemas de microfiltração e de desinfeção por radiação ultravioleta.

Saber...