No seguimento dos danos causados pela tempestade Leslie, no passado dia 13 de outubro, recorda-se que os munícipes devem, o quanto antes, tomar as diligências necessárias para acionar os seus seguros.

No dia 22 de outubro, a secretária de Estado Adjunta e da Educação, Alexandra Leitão, esteve na EB 2,3 Dr. Santos Bessa, na Carapinheira, para ver ao pormenor os estragos provocados pela tempestade Leslie e para deixar garantias que as obras vão ser efetuadas.
Com uma estimativa de obras no valor de meio milhão de euros para a escola da Carapinheira, a governante referiu: “Esta é a escola que temos referenciada como um dos estabelecimentos mais danificados pelo temporal”.
No momento, Alexandra Leitão, ao lembrar que “vão ser feitas também melhorias no estabelecimento”, avançou que quando for removido o fibrocimento e um dos pavilhões da escola estiver operacional vai ser possível começar a trazer de volta os alunos que se encontram a ter aulas na escola sede do AEMOV – Agrupamento de Escolas de Montemor-o-Velho.
À margem da visita, Rui Santos, adjunto do presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho, sublinhou: “Esta é uma situação que estamos a acompanhar em proximidade. Queremos que seja resolvida com a maior brevidade possível e, de momento, o município de Montemor-o-Velho está a assegurar o transporte dos alunos”.
De igual modo, António Joaquim, diretor do AEMOV, mostrando-se confiante, disse: “Sentimo-nos acompanhados pelo Ministério da Educação e com a sua disponibilidade demonstrada para resolver as situações”.
Recorda-se que a Secretária Estado Adjunta e da Educação, acompanhada de Manuela Faria, diretora-geral da Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares, e de Cristina Oliveira, delegada regional de Educação do Centro, visitou escolas nos concelhos de Soure, Montemor-o-Velho e Figueira da Foz que, após a passagem da tempestade, ficaram danificadas e com uma estimativa inicial de danos na ordem de 1,5 a 2 milhões de euros.

Desde 6ª feira à tarde, dia 19 de outubro, que uma das mais bonitas fortificações do país voltou estar disponível para visitas, após os efeitos provocados pela tempestade Leslie.

Assim, diariamente, o Castelo de Montemor-o-Velho pode ser visitado entre as 10h e as 18h30.

Na segunda-feira, dia 22 de outubro, a BMAD – Biblioteca Municipal Afonso Duarte vai reabrir ao público de forma condicionada, sendo os serviços assegurados no r/c, no horário das 10h às 18h.

O Balcão Único Móvel vai continuar na rua, junto dos munícipes, com o gabinete de apoio da EDP. Se ainda não tem luz, ou se tem um poste caído perto de casa, ou se detetou uma situação de perigo, venha comunicar diretamente à EDP.
Esta sexta-feira, dia 19/10, o Balcão Único Móvel vai estar, durante a manhã, no Tojeiro, no Largo Nª Srª da Graça, e, da parte da tarde, parte para a freguesia do Seixo de Gatões, onde ficará estacionado junto à Junta de Freguesia.
Apesar de todos os PT's estarem já ligados, alguns com recurso a geradores, ainda se verificam algumas situações pontuais de anomalias e de falta de energia.
Pede-se, por isso, a colaboração da população para reportar situações pontuais ou de risco que ainda persistam, através de atendimento de proximidade no Balcão Único Móvel, da linha telefónica da EDP (800 506 506) ou da aplicação móvel da EDP.
O Município de Montemor-o-Velho tem vindo a desenvolver esforços, junto da EDP, para minimizar os danos que a falta de energia elétrica provoca à população. A EDP continua com várias equipas no terreno para resolver os problemas que ainda se verificam no concelho.

O Exército português está a apoiar no restabelecimento e limpeza do concelho de Montemor-o-Velho.

No terreno estão equipas de transporte de carga e de especial de engenharia (equipa de corte), num total de 42 elementos do Regimento de Infantaria Nº 14 (Viseu), do Regimento de Engenharia Nº3 (Espinho) e da Unidade de Apoio (Coimbra), sendo apoiadas por seis viaturas pesadas, uma viatura ligeira e uma viatura especial de engenharia.

O reconhecimento e alguns trabalhos de limpeza iniciaram-se durante o dia de ontem, quarta-feira, dia 17 de outubro.

Hoje, quinta-feira, dia 18 de outubro, os militares estão na Casa do Povo de Abrunheira, com três equipas; na Associação Cultural Recreativa e Desportiva do Bebedouro, com uma equipa especial de engenharia (equipa de corte) e equipa de remoção; e na Freguesia do Seixo de Gatões, com duas equipas de remoção.

O Município de Montemor-o-Velho, em articulação com Juntas e Uniões de Freguesia, definiu locais para que os munícipes possam encaminhar e depositar os Resíduos de Construção e Demolição (RCD) resultantes da tempestade Leslie do passado dia 13 outubro 2018.

Recorda-se que todas as Juntas e Uniões de Freguesia dispõem de locais para o efeito e que as dúvidas existentes podem ser esclarecidas junto da Unidade Ambiente da Câmara Municipal ou das Juntas e Uniões de Freguesia.

 

Locais:

Tentúgal | Escoural – antiga saibreira

Arazede | junto ao cemitério

Santo Varão | junto ao cemitério

Pereira |junto à rotunda do Olival do Senhor

Carapinheira | junto ao pavilhão desportivo

Ereira | junto à caixa de monos

Verride | estaleiro da União de Freguesias

Gatões | estaleiro da União de Freguesias

Meãs do Campo | campo de futebol

Seixo de Gatões | recinto das festas

Liceia | junto à caixa de monos

Amanhã, quinta-feira, dia 18 de outubro, a EB 2,3 de Arazede vai reabrir e as atividades letivas vão decorrer dentro da normalidade.

Continuamos a desenvolver todos os esforços para repor a normalidade depois da tempestade que deixou um rasto de destruição no nosso concelho no passado sábado, dia 13 de outubro.

No que diz respeito à energia elétrica, a vila de Arazede, Resgatados, Catarruchos, Bunhosa e Vila Franca já têm energia elétrica, sendo que o Bebedouro e outros locais alimentados pela linha de média tensão da Tocha continuam sem energia.

Nas Faíscas, caso a situação não se encontre resolvida até amanhã (quinta-feira), está agendada a colocação programada de um gerador.

Devido a dificuldades técnicas, que esperamos conseguir ultrapassar nas próximas horas, algumas das localidades da freguesia de Arazede estão com pouco caudal de água pelo que se recomenda uma utilização regrada da água, evitando o desperdício.

Pede-se agora a colaboração da população para reportar situações pontuais ou de risco que ainda persistam, através de atendimento de proximidade no Balcão Único Móvel, da linha telefónica da EDP (800 506 506) ou da aplicação móvel da EDP.

Recorda-se que amanhã o Balcão Único Móvel vai estar com uma equipa da EDP em Arazede, entre as 10h e as 12h, no Largo do Serrado e em Verride, entre as 14 e as 16h, no largo da Junta de Freguesia.

Na área educativa, os alunos da EB 2,3 Dr. Santos Bessa, da Carapinheira, e da EB1 e Jardim de Infância do Seixo de Gatões estão deslocalizados, temporariamente, na escola-sede do Agrupamento de Escolas de Montemor-o-Velho (AEMOV) e no Centro Educativo de Montemor-o-Velho.

Nos equipamentos municipais, informa-se que o Castelo e a BMAD – Biblioteca Municipal Afonso Duarte vão continuar encerrados ao público e que o Pavilhão Municipal está com utilização condicionada, havendo aulas de grupo na sala dos espelhos.

 

O Município de Montemor-o-Velho enviou, esta manhã (17 de outubro), à Comissão de Coordenação e Desenvolvimento do Centro (CCDRC) e ao Governo um levantamento exaustivo dos danos e prejuízos causados pela tempestade que, na noite do passado sábado, 13 de outubro, assolou o concelho de Montemor-o-Velho e a região Centro.
 
“Mais de 40 colaboradores da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho, todos os Presidentes de Junta e as suas equipas, voluntários e particulares fizeram uma recolha exaustiva diretamente junto dos lesados”, informou Emílio Torrão.
 
Agradecendo “o esforço de todas estas pessoas que voluntariamente colaboraram nesta tarefa ciclópica” e que permitiu "cumprir os apertados prazos que nos foram impostos pela CCDR", o autarca montemorense aguarda agora “que o Governo dê uma resposta a estas pessoas”. “Espero que todo este trabalho não tenha sido em vão e que todas as expectativas criadas nas pessoas não sejam frustradas”, acrescentou. 
 
Recorde-se que, domingo, dia 14 de outubro, o Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, esteve em Montemor-o-Velho a inteirar-se dos estragos provocados pela tempestade Leslie na noite anterior. Na ocasião, o ministro revelou ser necessária uma identificação urgente de "todas as habitações danificadas, de todos os prejuízos em empresas, de todos os equipamentos públicos municipais que necessitem de recuperação, bem como dos prejuízos agrícolas”. Inventariação que o Município encetou de imediato com o apoio das Juntas de Freguesia, de voluntários e da população.
 
Desde então foram recolhidos mais de 1500 processos, de habitações permanentes, unidades económicas, equipamentos associativos, recreativos, desportivos e IPSS’s e de infraestruturas e equipamentos municipais danificados pela tempestade Leslie no concelho de Montemor-o-Velho. Prejuízos que ultrapassam os 11,2 milhões de euros, de acordo com a estimativa hoje entregue. Os danos em habitações permanentes chegam a 4,8 milhões de euros e os prejuízos em equipamentos sociais (associativos, recreativos, desportivos e IPSS’s) ascendem a 3,6 milhões de euros. No que diz respeito às unidades económicas concelhias, o valor estimado dos estragos é de perto de 2 milhões de euros. Já nos equipamentos municipais, o valor contabilizado pelas equipas da divisão de obras municipais da Autarquia e que abrange sinalética viária e publicitária, mobiliário urbano, edificado municipal, saneamento e maquinaria pesada é de cerca de 1 milhão de euros.
 
Simultaneamente, está a decorrer um levantamento dos prejuízos sofridos pelos agricultores do concelho, em conjunto com a Direção Regional de Agricultura e Pescas do Centro, e que, de acordo com os dados já apurados, se estima ultrapassar aos 10 milhões de euros na região do Baixo Mondego. Na segunda-feira, dia 15 de outubro, o secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luís Medeiros Vieira, anunciou, em Montemor-o-Velho, a atribuição de apoios a fundo perdido no âmbito do Programa de Desenvolvimento Rural PDR2020 para infraestruturas, instalações e equipamentos agrícolas e também para perdas em animais e culturas permanentes. Em relação às culturas anuais, o governante informou que os danos estão cobertos pelo Sistema de Seguros de Colheitas, financiado pelo Ministério da Agricultura a 60%.
 
O Presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho aconselha os seus Munícipes a accionarem os seguros de imediato, a fazerem prova fotográfica de todos os danos, sendo certo que nenhum apoio seria concedido a entidades ou a pessoas que estejam cobertas pelo seguro ou onde exista necessidade de seguro obrigatório. Emílio Torrão deixou uma certeza: "Da minha parte, tudo farei para que o concelho de Montemor-o-Velho não seja esquecido nestas horas difíceis."
Conscientes da situação dramática que a população do concelho de Montemor-o-Velho enfrenta, o Município de Montemor-o-Velho e a EDP vão levar, para junto dos munícipes, um gabinete de atendimento para que as pessoas possam comunicar diretamente à EDP situações de avaria, perigo, anomalias (postes partidos ou tombados) e ausências de energia.
Este gabinete vai funcionar no Balcão Único Móvel que, durante o dia de hoje e de amanhã (17 e 18 de outubro), vai percorrer quatro freguesias do concelho de Montemor-o-Velho.
Esta manhã, o Balcão Único Móvel está no Largo da Feira dos 8, em Gatões. À tarde, o gabinete ruma à freguesia da Carapinheira, no largo da Junta de Freguesia.
Na quinta-feira, o Balcão Único Móvel vai estar estacionado, durante a manhã, na freguesia de Arazede, no Largo do Serrado, e, durante a tarde, na união de freguesias de Abrunheira, Verride e Vila Nova da Barca, junto à sede da Junta de Freguesia em Verride.
O Município de Montemor-o-Velho tem vindo a desenvolver esforços, junto da EDP, para minimizar os danos que a falta de energia elétrica provoca à população. A EDP continua com várias equipas no terreno para resolver os problemas que ainda se verificam no concelho. 
Apesar dos esforços, parte do concelho de Montemor-o-velho continua ainda sem eletricidade, na sequência do temporal da noite de 13 de outubro, sendo a freguesia de Arazede a mais afetada. 
Neste momento, de acordo com as mais recentes informações da EDP, continuam sem energia algumas localidades da freguesia de Arazede que são alimentados pela linha de média tensão da Tocha. Nas Faíscas (Arazede), caso não se consiga repor a energia, será colocado um gerador. Os núcleos habitacionais da União de Freguesias de Abrunheira, Verride e Vila Nova da Barca foram ontem alimentados a geradores, sendo que, neste momento, já têm energia.
Pede-se agora a colaboração da população para reportar situações pontuais ou de risco que ainda persistam, através de atendimento de proximidade no Balcão Único Móvel, da linha telefónica da EDP (800 506 506) ou da aplicação móvel da EDP.
Na reunião da Comissão Municipal de Proteção Civil realizada ao final da tarde de ontem, onde ficou decidido prolongar o Plano Municipal de Emergência e Proteção Civil até 23 de outubro, o presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho, Emílio Torrão, mostrou-se disponível para estender este atendimento de proximidade às restantes freguesias pelo tempo necessário de modo a fazer um levantamento real das situações de avaria com a rede elétrica que ainda persistem. 
O Município de Montemor-o-Velho prolongou, hoje, o prazo de ativação do Plano Municipal de Emergência e Proteção Civil até às 18:30 do próximo dia 23 de outubro. 
“Efectivamente ainda há muito trabalho a fazer. Ainda há muita gente sem luz e sem acesso a algumas infra-estruturas públicas”, sustentou o presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho que reforçou que “urge manter este Plano”. Emílio Torrão acredita que o concelho deu “uma grande lição de união e humildade nestas horas muito difíceis” mas que, apesar do trabalho de todos, não estão ainda reunidas as condições para repor a normalidade. 
O concelho de Montemor-o-Velho, fortemente afetado pela tempestade que na noite de 13 de outubro assolou a região centro, ativou o Plano de Emergência deste a manhã de 14 de outubro. 

Saber...