30 de setembro de 2020 vai ficar para a história do concelho de Montemor-o-Velho como “o dia da reconquista do Castelo para a população de Montemor-o-Velho”. Para Emílio Torrão, esta “era uma ambição antiga dos montemorenses que agora assumimos. Vamos passar a proteger, oficialmente, o Castelo que outrora nos defendeu” com a transferência de competências de gestão, valorização e conservação daquele monumento nacional firmada esta quarta-feira entre o presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho, a Ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão, e a Ministra da Cultura, Graça Fonseca.
 
Património nacional, o Castelo de Montemor-o-Velho passa agora, formalmente, para alçada da Autarquia de Montemor-o-Velho, “num verdadeiro ato histórico de descentralização” que vai, apesar das condicionantes impostas no documento, “proporcionar uma melhoria da qualidade dos serviços públicos e de proximidade”. O edil montemorense acrescentou que “a competência agora efetivada estava incorporada nas funções que já eram plenamente assumidas pelo município nesta área há bastante tempo, desde a manutenção do espaço, limpeza, funcionamento e recursos humanos”. 
 
Na cerimónia, que teve lugar na Sé Catedral de Idanha-a-Velha e que contou com a presença do Secretário de Estado da Descentralização e da Administração Local, Jorge Botelho, e da Secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural, Ângela Ferreira, foram também assinados autos de transferência com os Municípios de Belmonte, Celorico de Basto, Idanha-a-Nova, Marco de Canaveses, Mesão Frio, Penacova e Portimão.
Estes são os primeiros autos celebrados na área da Cultura no âmbito do processo de descentralização e correspondem à transferência da posse das respetivas infraestruturas, prosseguindo-se, assim, a operacionalização da transferência de competências para os municípios no domínio da cultura.

Neste dia mundial da música, fique a saber mais sobre a atividade pedagógica interativa desenvolvida pela Filarmónica Instrução e Recreio de Abrunheira e da sua Escola de Música no decurso da pandemia.

A Filarmónica Instrução e Recreio de Abrunheira foi fundada em 3 de Abril de 1881, tendo em atividade, desde então, a sua Filarmónica e Escola de Música. Fazem parte desta associação de utilidade pública, também, o Rancho de Cantarinhas Flores das Tricanas de Abrunheira (fundado em 31/08/1919) e a Secção de Teatro (criada na década de 1960).

O som inconfundível da flauta de bambu de Rão Kyao ecoou, na noite de sábado, dia 19 de novembro, na Igreja Matriz de Tentúgal. 

O músico e compositor esteve em Tentúgal a apresentar o seu último trabalho, "Sopro de Vida - Maria". A espiritualidade tomou conta desta noite memorável organizada pelos amigos do Convento e que pretendeu angariar verbas para a recuperação do Convento de Nossa Senhora do Carmo. 

Rão Kiao

Sopro de Vida

Concerto


19 de novembro/

sábado | 21h30 | Igreja Matriz | Tentúgal

Mostra Etno-folclórica “Fátima Verão”
Integrado nas Jornadas Culturais do CBM


Participação do Rancho Folclórico do Centro Beira Mondego de Santo Varão, do Rancho Folclórico “As Lavradeiras de Pedroso” (Vila Nova de Gaia) e do Rancho Folclórico e Etnográfico de Vale de Açores (Mortágua)

 

19 de novembro/

sábado | 21h | Centro Beira Mondego | Santo Varão

O maestro Angelino Ferrão vai ser homenageado no próximo dia 30 de outubro, em Arazede, concelho de Montemor-o-Velho, e dia 6 de novembro, em Alhadas, concelho da Figueira da Foz, com um Tributo, coproduzido pelo “Sax & Companhia” e por uma comissão dinamizadora constituída por filhos, amigos e músicos, e que assinala, também, as comemorações do 15º aniversário do grupo “Sax & Companhia”.
Com direção musical de Bruno Abrunheiro, o Tributo a Angelino Ferrão promete surpreender o público com dois espetáculos de música e dança e duas exposições onde, para além da obra musical, estarão patentes desenhos, caricaturas e capas, que retratam a grande diversidade artística do maestro.
Com início às 16 horas, os espetáculos contam ainda com a participação do Rancho “Os Esticadinhos”, de Cantanhede, do Grupo de Cantares da Sociedade Boa União Alhadense (SBUA), da Tocata do Rancho 1º de Maio da SBUA, do Ensemble de Saxofones de Arazede (Academia Musical Arazedense - AMA) e de diversos músicos simpatizantes.
Pág. 2 de 2

Saber...